Cidade > Curiosidades

Desenvolvimento

A economia que se baseou inicialmente na agricultura, passou a se apoiar na indústria. O setor rural recebeu melhorias técnicas e financeiras e a produção aumentou. Os imigrantes transformaram o Vale do Itajaí na região de maior produção industrial do Estado e na segunda região de maior produção agrícola.

Imperdível ao conhecer Timbó é observar as características únicas do seu lado rural. Verdadeiras pinturas: o prazer de ver o homem do campo em seus afazeres; paisagens bucólicas e encantadoras – garantem o espetáculo criado pela natureza.

Área Urbana

Neste ambiente urbano vive 92% da população. A cidade em geral é bem tranqüila e bastante arborizada. A violência é quase inexistente e o número de delitos é baixíssimo. A qualidade de vida dos timboenses é altamente satisfatória.

A Limpeza

É na região urbana que a limpeza das ruas se torna mais evidente. É interessante observar que não são apenas os garis da Prefeitura que varrem as calçadas; mas as pessoas, de um modo geral, varrem-nas em frente e suas casas ou lojas.

Os habitantes tratam o espaço público como deve ser: uma continuidade do espaço privado. É assim, com a ajuda de todos, que a cidade se mantém limpa e agradável.

A Denominação

Sendo a flora existente rica em espécimes, o Dr. Fritz Muller, filósofo e naturalista, natural da Alemanha, que veio juntar-se ao Dr. Blumenau, já estando fundada e em franco progresso, fez amplos estudos sobre a flora existente em toda a região da colônia, inclusive sobre a planta denominada "timbó".

O jornalista e escritor Theobaldo da Costa Jamunda, de Indaial, fez trabalho notável sobre a origem dos nomes dados aos núcleos coloniais de Indaial, Timbó e Rio dos Cedros. É interessante saber-se que das diversas variedades da planta "timbó", inclusive cipós do mesmo nome, muito difundidos em várias regiões do País, especialmente os do gênero "lonchocorpus", é extraída a retinona, princípio ativo e altamente tóxico, utilizado sobretudo na fabricação de inseticidas, como o DDT, muito utilizado pelas Forças Americanas que combatiam as Forças Nipônicas nas florestas do continente asiático e nos densos matagais das ilhas do Oceano Pacífico.

Essa substância ativa, extraída do "timbó" já era há muito conhecida pelos silvícolas e também, mais tarde, pelos primeiros colonos. A raiz dessa planta, sendo esmagada ou ralada, introduzida na água dos rios ou ribeirões, desprende o princípio ativo do veneno, estonteando ou mesmo matando os peixes.

Emancipação Política

O Decreto Estadual nº 527, de 28 de fevereiro de 1934, criou o município de Timbó. Sua instalação deu-se em 25 de março de 1934.

Aspectos Físicos

Lindo vale, circundado por montes e montanhas, com uma área de 161 km². Sua altitude máxima e de 758m, no topo do Morro Azul, um contra-forte d Serra do Mar. A sede do município está a 70m de altitude do nível do mar.

Clima

O clima é temperado, variando entre 40ºC a máxima, podendo a mínima chegar a 3ºC negativos. As precipitações pluviométricas, variam de 1.400mm a 2.000mm. Sua contornação se dá por serras formadas em partes pelos contra-fortes da Serra do Mar. Não há propriamente planícies, mas sim, terras planas.

Coordenadas geográficas

26.49'32'' de latitude sul. 49.10'18'' de longitude W.Gr.

Principais Distâncias

  • 111km em linha reta da capital do Estado - Florianópolis;
  • 70km da BR 101; 120km da BR 116;
  • 78km do Porto Marítimo de Itajaí;
  • 24km de Blumenau;
  • 10km de Indaial;
  • 19km de Pomerode;
  • 8km da BR 470;
  • 270km de Curitiba;
  • 62km do aeroporto de Navegantes;
  • 553km de Porto Alegre;
  • 689km de São Paulo;
  • 1.854km de Brasília;
  • 1.139km do Rio de Janeiro.

Turismo

Timbó desenvolve atividades turísticas desde 1997, quando da criação do Departamento de Turismo. Desde então, o município vem trabalhando o setor, buscando subsídios junto aos órgãos federais e estaduais, parcerias com a iniciativa privada e programas de conscientização da comunidade.

Em 2002, a cidade recebeu o selo ouro nacional da Embratur, como destaque pelo seu Plano Municipal de Turismo. Timbó foi a segunda cidade brasileira a desenvolver o planejamento turístico, dentro do Plano Nacional de Municipalização do Turismo através do Conselho Municipal de Turismo. No documento estão presentes o perfil sócio-econômico-cultural do município e os 10 programas para o desenvolvimento do setor, a serem executados até 2010. Os resultados podem ser medidos em números e ações. A cidade recebe anualmente, em sua rede hoteleira, cerca de 13 mil turistas (de negócios, eventos e lazer) e vem ampliando as instalações para dobrar o número de leitos (hoje o município conta com cerca de 500 leitos).

A cervejaria local ampliou sua produção para atender a demanda turística. Novas empresas de turismo de aventura estão surgindo e os restaurantes/bares investem na diversificação/qualificação de seus serviços. Através do Programa do Artesanato Brasileiro foram criadas duas associações de artesões e várias lojas. "Não é por acaso que Timbó foi reconhecido como "Município Turístico", através da Embratur.

A cidade se destaca pela qualidade de vida em todas as idades. Foi privilegiada pela natureza com cenários e paisagens ímpares. Tem um povo hospitaleiro e acolhedor, que sabe preservar a elegância e a beleza da vida urbana e rural. Transpira cultura e tradições, preserva sua arquitetura, resgata sua história através da música, da dança, de museus e do artesanato. Com tantos apelos e o interesse cada vez maior das pessoas por locais com estas características, o turismo em Timbó segue promovendo sua revolução silenciosa".