Muito tem se falado na questão econômica, principalmente nesses tempos de crise, quando o próprio cidadão comum e a grande maioria dos empresários buscam otimizar os gastos, tanto em casa quando na produção da empresa. Em Timbó, a Prefeitura junto com suas secretarias e em parceria com o Sebra abraçou o empreendedorismo desde 2015, buscando um suporte diferenciado aos empresários, em especial aqueles que estão começando um novo negócio, micros e pequenos empreendedores, e também na educação. 
Neste sentido, em 2017, a Prefeitura de Timbó ampliou a parceria que já vinha tendo com o Sebrae e implantou, a partir do Programa Cidade Empreendedora, o PEDEM – Plano de Desenvolvimento Econômico Municipal. Neste plano foram diagnosticados cinco eixos estratégicos, que estão sendo trabalhados com empresários de vários segmentos. Através de reuniões e seminários, que acontecem geralmente na própria Prefeitura, estão sendo identificados os pontos fortes e principalmente os pontos fracos de cada segmento, para melhorá-los.
Empreendedorismo nas escolas
E nas escolas, onde está a base de todo o futuro econômico, foi traçado um estudo do empreendedorismo com os alunos, que resultou, também em parceria com o Sebrae, na feira do JEPP – Jovem Empreendedor Primeiros Passos, que teve seu encerramento ontem, dia 28, na Escola Municipal Erwin Prade, no Bairro Pomeranos e no sábado passado, na Escola Nestor Margarida, no Bairro Araponguinhas. Participaram do JEPP todas as escolas municipais que desenvolveram com seus alunos a consciência empresarial, bem como trabalhos relacionados a diversos temas. Para isso houve ainda no meio do ano uma preparação dos professores, para administrar as aulas de empreendedorismo. 
Na solenidade do JEPP da Escola Erwin Prade estiveram presentes diversas autoridades, entre elas o coordenador do Sebrae/SC no Vale do Itajaí, Donizete Böger e o secretário de Educação Alfroh Postai. Os dois foram unânimes em afirmar que o desenvolvimento do empreendedorismo deve começar cedo, na escola.  
O secretário Postai por sua vez destacou não somente a importância da participação dos alunos no JEPP, mas também da família em todas as atividades escolares do filho. Em tom de desabafo ele disse que “não se resolve nada publicando críticas em redes sociais, quando não se conhece o ambiente escolar dos filhos”, frisou, pedindo a participação efetiva dos pais ou responsáveis. 
Para a diretora da Escola Erwin Prade, Cleide Maria Uber Borth, o JEPP foi um aprendizado diferente, que resultou em mais atividades extraclasse e no empenho direto dos alunos e dos professores. “Antes de tudo deixamos bem claro aos alunos sobre a importância do JEPP, quem é o Sebrae e objetivo que buscávamos alcançar no desenvolvimento do projeto. E deste jeito, trabalhamos diversos temas com as turmas, mas nos permitirmos ficar mais dentro da realidade da escola e nesse primeiro momento desenvolver cada atividade sem a comercialização de produtos”. 
Participaram do JEPP as 6 escolas municipais ao longo de todo esse segundo semestre, que culminou com as feiras internas, desenvolvidas neste mês de novembro em todas elas: Escola Erwin Prade, Nestor Margarida, São Roque, Tiroleses, Maurício Germer e Padre Martinho Stein. 
Assessoria de Comunicação 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here