Os municípios de Timbó, Pomerode e Indaial, que a partir de amanhã, sexta-feira (dia 1º) sediam a 59ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina, finalizam os últimos detalhes  dos preparativos para receber em torno de 5,1 mil entre atletas, dirigentes e equipes de apoio, de 121 municípios, número igual ao ano anterior, que foi recorde desde que implantação das fases micro e regional. No total estarão em disputa 46 troféus nos dois naipes, exceto no boxe, modalidade em exibição, o muay thai que será apresentação, além do jiu-jitsu como o primeiro ano de provisória.

 

Os organizadores pretendem fazer os melhores jogos da história, já que em 2008 o “sonho foi interrompido” em razão das enchentes que atingiram o estado, mas principalmente o Médio Vale do Itajaí. Antes os três municípios tinham recebido os Jasc em 2004. A escolha das sedes ocorreu em novembro de 2017 e um dos fatores que contribuiu na aprovação por parte do Conselho Estadual de Desportos foi que Timbó completa esse ano seus 150 anos de colonização. “Estamos em festa desde janeiro e certamente os Jogos Abertos serão mais uma vez um sucesso”, assinala o prefeito Jorge Krüger.

O presidente da FMD de Timbó, Marcio Elísio, destacou que a parceria com a iniciativa privada favoreceu, já que as praças esportivas estão em perfeitas condições. Os timboenses não querem apenas aplaudir os campeões e medalhistas de outros municípios. Por essa razão a FMD disputará os Jasc com 31 modalidades, ficando atrás apenas de Blumenau, São José, Florianópolis, Joinville, Itajaí e Chapecó. “O cerimonial de abertura será 100% com gente da terra, sem onerar os cofres públicos”.

O secretário de Esportes de Indaial, Ademir Paker, disse que até os “45 minutos do segundo tempo”, tudo estará pronto. O grande legado que os jogos deixarão e a reforma de dois ginásios de esportes. O investimento por parte do governo do Estado foi de R$ 500 mil.

A tradição de manter os locais de competição em perfeitas condições favoreceu a parte de organização dos Jasc em Pomerode. Em razão disso o presidente da FME, Arlindo Ewald, observou que não foram necessários muitos investimentos. As escolas que vão servir como alojamentos, em quase sua totalidade, possuem ar condicionado, proporcionando um conforto a mais.

Assessoria de Imprensa

Especial Orlando Pereira

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here